27 fevereiro 2014

Resenha: Persuasão


Oi gente!!!!
2º livro do Desafio Skoob concluído! Fevereiro: Clássico Mundial.



Autora: Jane Austen
Editora: Martin Claret
ISBN: 9788572327954
Ano: 2010
Páginas: 241
Tradutor: Roberto Leal Ferreira
Adicione no "Orelha de Livro"
Nota: 5/5


Sinopse: O enredo deste empolgante livro gira em torno dos amores de Anne Elliot que se apaixonara pelo pobre, mas ambicioso jovem oficial da marinha, capitão Frederick Wentworth. A família de Anne não concorda com essa relação e a convence romper seu relacionamento amoroso. Anos após Anne reencontra Frederick, agora cortejando sua amiga e vizinha, Louisa Musgrove. "Persuasão" é amplamente apreciado como uma simpática história de amor, de trama simples e bem elaborada, e exemplifica o estilo de narrativa irônica de Jane Austen, sendo original por diversos motivos, entre eles, pelo fato de ser uma das poucas histórias da escritora que não apresenta a heroína em plena juventude. O romance também é um apanágio ao homem de iniciativa, através do personagem do capitão Frederick Wentworth que parte de uma origem humilde e que alcança influência e status pela força de seus méritos e não através de herança.

Resenha: 

Persuasão foi o último romance completo que Austen escreveu – ela começou pouco depois de ter terminado Emma, por volta de agosto de 1815, terminando a primeira versão um ano depois, já doente. Persuasão, não retrata uma heroína a flor da idade, e sim uma mulher que já beira os trinta anos. É um livro que trabalha, além de todo o romantismo da época, a espera. Espera pelo amor e a espera do beneficiamento através do próprio esforço, não pelo berço.


Persuasão é o segundo livro que leio de Austen, e só tenho a agradecer pela história linda de Anne e Wentworth. Apesar de toda a trama que os envolve, eu não conseguia parar de suspirar toda vez que ambos estavam juntos em um mesmo local! Austen consegue passar através da escrita, tudo o que era importante na época: As famílias ricas, os lugares, os títulos... E claro, o amadurecimento da personagem que já tem seus 28 anos e ainda é solteira, um insulto na época em questão.


Anne Elliot é a filha do meio do respeitável sir Walter Elliot, um homem que já foi bem de vida, mas se vê tentado a alugar sua casa e viver em um lugar menor até conseguir pagar suas contas. Elizabeth, filha mais velha, acompanha o pai em tudo, é a preferida a olhos vistos. Mary, a caçula, já casada, é a mais dramática e por vezes a odiei em todos os diálogos! Anne, a querida, dispensável Anne, não sente o seu valor respeitado perante a família, e depois que a casa foi alugada, ruma para a casa de Mary para passar algum tempo, antes de ir para seu novo lar em Bath, com seu pai e sua irmã, além da querida Lady Russell, a qual considera uma mãe, desde que a sua faleceu.


Neste tempo que passou com Mary e os familiares de seu marido, Anne reencontra um antigo amor, ao qual foi persuadida a abandonar pois o mesmo se tratava de um homem sem berço e nenhuma garantia de segurança. Mas Wentworth venceu na vida como marinheiro, conseguiu juntar uma boa quantia e agora busca uma mulher para desfrutar um futuro juntos.
"Ele não havia perdoado Anne Elliot. Ela o maltratara, o abandonara e o decepcionara; e, o que era pior, havia demonstrado certa fraqueza de caráter ao fazer aquilo, algo que seu temperamento determinado e confiante não podia tolerar. Ela o abandonara para agradar a outras pessoas. Aquilo fora o efeito de ela deixar-se persuadir excessivamente. Tinha sido fraca e pusilânime."
Sabe quando você começa uma leitura e a cada capítulo você suspira? Pois é! Persuasão me tirou vários suspiros e muitas risadas! A narrativa é leve, descontraída e irônica ao sabor da autora! Apesar do dialeto da época, você consegue entender perfeitamente os pormenores. Austen é mestra, não tem jeito, mas confesso que Persuasão entrou para minha lista de preferidos pelo simples fato de Anne ser mais velha, claro que isso não tira o brilho das outras protagonistas, até porque só li Orgulho e Preconceito, mas me identifiquei mais com Anne, apesar de ambas as histórias serem lindas e cativantes!


Sobre o nosso capitão Frederick Wentworth, como o sr. Darcy, só tenho a dizer que ambos são cabeças-dura e amáveis! Incrível como mesmo com o passar de anos, ainda nos apaixonamos por homens tão carentes e orgulhosos! Claro que não é destacado somente o romance entre os dois, ainda há as intrigas familiares que tanto gosto em seus livros e claro, a futileza das mulheres da época!
"... Não me diga que é tarde demais, que tais preciosos sentimentos se foram para sempre. Eu volto a me oferecer a você, com um coração ainda mais seu do que quando você quase o partiu, oito anos e meio atrás..."
Sobre a edição, esta que eu tenho é a versão pocket com texto integral, possui folhas brancas e as letras estão em um ótimo tamanho para a leitura. A capa sem dúvida é linda, e possuí orelhas, o que eu adoro! O que mais me deixou feliz, foi encontrar ao final do livro um capítulo que foi excluído do texto original. Explica a editora que quando Jane Austen, acabou de escrever Persuasão, o romance tinha um final diferente. O último capítulo não havia sido satisfatório para a autora, que mais tarde foi substituído por outros dois, os capítulos 23 e 24. Agora, me diz uma coisa, será que se Austen tivesse vivido mais um tempo, ela teria escrito um livro maior???? Bem que eu queria! rsrsrsrsrrs

Enfim, pelo tando de posts-its no livro, vocês podem ter certeza que amei neh? *-* Um clássico memorável que todos deveriam ler! Recomendo com certeza esta leitura!
Ps: Vou assistir ao filme agora! rsrsrsrrsrs



Sobre a autora:


Romancista britânica nascida em Steventon, Hampshire, Inglaterra, cuja obra literária deu ao romance inglês o primeiro impulso para a modernidade, ao tratar do cotidiano de pessoas comuns com aguda percepção psicológica e um estilo de uma ironia sutil, dissimulada pela leveza da narrativa. Filha de um pastor anglicano, toda a sua vida transcorreu no seio de um pequeno grupo social, formado pela aristocracia rural inglesa. Aos 17 anos, escreveu seu primeiro romance, Lady Susan, uma paródia do estilo sentimental de Samuel Richardson. Seu segundo livro, Pride and Prejudice (1797), tornou-se sua obra mais conhecida, embora, inicialmente, tenha sido malvisto pelos editores, o que levou por algum tempo ser descriminada no meio editorial. Depois conseguiu publicar o romance Sense and Sensibility (1811), cujo sucesso levou à publicação, ainda que sob pseudônimo, de obras anteriormente recusadas. Vieram ainda outros grandes sucessos como Mansfield Park (1814) e Emma (1816) em um estilo menos ágil e humorístico, porém ganhando em serenidade e sabedoria, sem perda de sua típica ironia. Morreu em Winchester, um ano antes de serem publicadas as obras Persuasion e Northanger Abbey, uma deliciosa sátira, escrita na juventude, ao gênero truculento da novela gótica. Seu poder de observação do cotidiano forneceu-lhe material suficiente para dar vida aos personagens de suas obras, e a crítica considerou-a a primeira romancista moderna da literatura inglesa.

4 comentários:

  1. Sou louca para ler algum livro da Jane Austen, e este parece ser um livro interessante.
    Mas fico com receio de não gostar, pois os clássicos costumam me proporcionar uma leitura morosa, e eu gosto de ler rapidamente.
    Não sei, talvez seja apenas preconceito, ou sei lá. Mas algum dia vou ler.

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda não li nenhum livro da Jane Austen que vergonha, mas eu não vejo a hora de poder ler esse livro parece ser muito bom, o ultimo romance completo que ela escreveu isso mesmo? Achei essa edição de bolso muito fofa, espero ler o livro em breve.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  3. Jane Austen é vida. JESUS essa mulher é brilhante. Eu amo realmente de paixão os livros dela, recomendo todos. A visão que ela tem sobre as coisas, é coisa de louco.

    ResponderExcluir
  4. Eu sou doida para ler esse livro, mas ainda não comprei.
    Sua resenha só me deixou querendo muito mais!

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz