28 novembro 2014

Resenha: Real - Katy Evans

Editora: Novo Século
Autor: Katy Evans
ISBN: 9788542801774
Ano: 2014
Páginas: 304
Tradutor: Júlio de Andrade Filho

Sinopse:
Remington Tate tem a reputação de ser um bad boy, dentro e fora. É conhecido também pelo corpo escultural e pelo poder, sexy e selvagem, que emana de cada gota de suor, levando toda e qualquer mulher que o veja a um verdadeiro frenesi. Em seus olhos, brilha um desejo brutal, devastador e real. Brooke, uma especialista em fisioterapia esportiva, é contratada para manter aquele corpo funcionando como uma máquina mortal. Esse parecia ser seu emprego dos sonhos, mas, ao circular pelo perigoso circuito de lutas clandestinas com Tate e sua equipe, Brooke passa a ser dominada por um novo sentimento, um fogo e uma necessidade com os quais ela não sabe lidar. O que começa com um simples flerte pode virar uma obsessão sexual incontrolável. Terríveis segredos serão revelados, e Brooke deverá lutar para manter-se sã, discernindo o que há de real e o que é pura ilusão em seus próprios sentimentos.
Resenha:

Então, não sei bem como começar essa resenha, fico entre a cruz e a espada, não sei se tenho ataque de fangirl pelo Remy ou se solto o verbo sobre a Brooke. Então, vamos começar pela parte ruim e depois vamos para a boa (e como é boa!!!).

Brooke Dumas é uma ex- velocista, que por um grave acidente durante uma competição, onde rompeu o ligamento do joelho, não conseguiu realizar seu grande sonho de competir profissionalmente. Desolada pelo futuro de atleta fracassado, Brooke encontra sua realização profissional na fisioterapia especializada na areá esportiva.

Certo dia, Brooke é convencida pela melhor amiga a ir assistir a uma luta de boxe do circuito underground, ou seja, lutas clandestinas.  Chegando ao local da luta e avistando seus frequentadores, a garota se sente totalmente deslocada com sua blusa de gola pólo e sua calça social. Mas o pior de tudo são as mulheres com roupas minusculas carregando cartazes e gritando obscenidades para o lutador da noite, Remington Arrebentador Tate!!
Logo Brooke descobre que o Arrebentador é o astro da competição, o favorito para ganhar o campeonato e o desejo sexual de 10 entre 10 mulheres naquele local, incluindo a sua melhor amiga. Ela não consegue entender o porque de tanta euforia e sua aversão a violência a faz tremer só de pensar em duas pessoas se agredindo. Mas quando Remington é anunciado pelo locutor, quando a platéia vai a loucura e o lutar deixa cair o capuz vermelho, Brooke fica completamente estagnada com o que vê. Remington Tate é a personificação da beleza masculina, com seu corpo musculoso, suas feições angulosas, seu cabelo bagunçado e seus intensos olhos azuis. Brooke se permite admirar toda a virilidade do lutador durante o combate, mas ao final, quando Remy é anunciado campeão seus olhos de encontram e ele a persegue, determinado a descobrir quem ela é.


Dias após o inusitado encontro, Brooke recebe em casa ingressos para a próxima luta de Remy, enviado pelo próprio.  Apesar de considerar o cara uma confusão em potencial, ela aceita o convite, torcendo para que o passe para o bastidores a leve diretamente para a cama do Arrebentador. Mas ela não poderia estar mais enganada, ao final da luta ela é abordada por dois agentes que se apresentam como funcionários do Sr. Tate e a convidam para uma conversa em particular com o lutador em seu quarto de hotel. Curiosa e excitada, Brooke aceita o convite, mas ao chegar lá o que a espera é um contrato de trabalho, como fisioterapeuta particular.
"Meu orgulho feminino está ferido porque, em algum momento, eu me convenci de que o cara queria dormir comigo. E em vez disso, ele me oferece um emprego? Não é ruim, mas totalmente inesperado, devo admitir."
Remy viaja pelo pais competindo em diversas cidade, sua equipe é composta por um treinador, uma nutricionista, e dois assistentes pessoais, e agora por Brooke, que assina um contrato por três meses. Mas o que ela não sabe, é que por trás da aparente confiança e da atitude arrogante, Remington é um cara atormentado por um passado complicado e guarda um segredo que apenas poucas pessoas sabem, sua infância sem amor e a falta presença dos pais o tornou um pessoa fechada, e foi na luta e nos treinos que ele encontrou uma forma de dar vazão a sua raiva contida.

O relacionamento estritamente profissonal entre Remy e Brooke aos poucos começa a se tornar uma tortura para a garota, que a cada treino ou luta precisa massagear e alongar o corpo escultural do lutador. Toque após toque ela sente seu desejo por ele arder ainda mais, mas apesar de retribuir o flerte e as caricias, Remy se recusa a qualquer contato intimo com ela. Por trás de Remington Tate, o Arrebentador, existe um homem complexo e instável, e que sofre com o medo da rejeição, principalmente quando descobrem sobre quem ele realmente é.
“Dez minutos mais tarde, ouço o nome dele sendo berrado pelos alto-falantes:
-E agora, senhoras e senhores, digam alou ao primeiro e único Remington Tate, o Arrebentador!!
Um fluxo de sensações sobe por meu corpo enquanto ele vem trotando, e sinto imediatamente o calor liquido derramando-se em minha calcinha. Deus, como eu odeio todas as vezes durante o dia em que olho para ele desejando que seja meu. Quero tocar nele, conhecer esse homem.”
Então minha gente,lutador, menina “inocente”, isso não dá uma sensação de dejavu em vocês? Pois é, também pensei exatamente isso, copia de Belo Desastre, e realmente é, mas só até certo ponto, principalmente o inicio, praticamente igual, troca de olhares, um gostosão tatuado ... e pá, se deu um relacionamento selvagem e obsessivo. Mas parou por ai, o diferencial está na bagagem emocional dos protagonistas, Brooke não é apenas a mocinha indefesa e virgenzinha, não, pelo contrario, ela é uma batalhadora, passou a adolescência treinando para ser velocista e logo em suas primeiras competições sofreu um lesão que acabou com sua carreira, desde então, vem lutando para se encontrar novamente. Ela também é decidida e sabe o que quer, principalmente sexualmente, ela deseja Remy, e não sente nenhuma vergonha disso, nem mesmo em propor sexo casual. O problema de Brooke na verdade, esta na obsessão sexual, já que desde o momento em que bateu os olhos em Remy sofre do constante problema de calcinha encharcada. Pois é, a cada duas paginas o leitor é brindado com as descrições de como os seus seis estão duros de tesão, de como sua calcinha está encharcado, de como suas coxas estão molhadas, de como ela está excitada e afins. Eu dei a ela o apelido de Brooke queda d’agua ou Brooke cachoeira, aconselharia a ela o uso de fraudas, pois certamente o protetor diário não daria conta de tamanho fluxo.
Outro ponto negativo da personalidade da Brooke e da maioria das mocinhas é a falta coerência, elas enfrentam o mundo pelo suposto amado, e quando um detalhe acontece, elas abandonam o barco e os deixam chupando dedo. Mas entendo, sem esses “percalços” não haveria trama, então...
Mas vamos falar de Remington  Tate, o nosso Arrebentador! Complexo é a palavra certa para defini-lo. Ele é ex lutador profissional, que foi expulso da liga por comportamento inadequado e acabou entrando para as lutas clandestinas, fez fortuna e fama, mas ainda se sente incompleto. A falta de amor e compreensão desde a infância e o desinteresse dos pais transformou Remy em alguém amargurado e inseguro, que somado aos seus problemas psicológicos(não, não vou contar qual é.)fazem dele alguém instável e de difícil convivência. Não mostrar o seu eu REAL para Brooke com medo de ela se afastar se torna mais uma angustia na vida do lutador.
Remy é fantástico, ele é mal humorado, ciumento, possessivo e mandão, mas ao mesmo tempo ele é doce,atencioso, leal e até mesmo romântico. Ele é a personificação da contradição,  e a forma que ele usa para se expressar para Brooke usando a musica como meio, é incrivelmente encantador e apaixonante.
Devo confessar também que só o fato de abrir esse livro já me tornou fã da autora, foi só dar uma passadinha de olhos na trilha sonora que ela escolheu que eu já sabia que esse livro se tornaria um dos meus favoritos, ninguém resiste a “Íris” dos Goo Goo Dolls, “I Love You” da Avril Lavigne e“Como Away With Me” da Nora Jones. Mas gente, eu sou little black star assumida, como vocês bem sabe, amo a Avril incondicionalmente, e quando vi I Love you na trilha sonora eu desesperadamente precisava conhecer essa trama.


Enfim, como eu falei lá em cima, esse foi um livro de amor e ódio, amei, sofri, tive vontade de jogar ele pela janela, esbofetear a Brooke, dar colo para o Remy...me despertou diversos sentimentos intensos, mas acho que essa é o intuito de uma boa leitura, certo?

O livro é narrado em primeira pessoa, pelo ponto de vista da Brooke, a carga emocional da trama já começa por ela, e somente depois é que vamos conhecendo Remy, um personagem complexo , intenso e apaixonante. Ponto interessante foi a pesquisa que a autora fez sobre o trabalho de um fisioterapeuta, demonstrando conhecimento sobre o tema e nos passando isso durante todo o livro. Mas o livro não é só maravilhas não, o trabalho da editora deixou muito a desejar, a revisão esta péssima, erros horríveis de digitação e em grande quantidade. A tradução também não foi lá grande coisa, usando um linguajar chulo e vulgar. Eu até me dei ao trabalho de procurar quotes em inglês para analisar isso, e posso afirmar que a escolha de sinônimos do tradutor foi péssima, não faz jus a escrita de Katy Evans. Mas em compensação a capa, é FANTÁSTICA, o modelo tem todas as descrições do Remy, apesar de faltar um pouquinho de tatuagem naqueles belos braços.

Mas, como todo livro tem os seus pros e contras, esse não poderia ser diferente, mas eu devorei REAL, virei a noite lendo e estou desesperada para colocar minhas mãozinhas nos próximos volumes.
Katy Evans tem uma escrita simples, o que deixou a leitura simples e objetiva, é o tipo de obra que prende o leitor do inicio ao fim, com personagens carismáticos, complexos e bem desenvolvidos. A autora também soube explorar os personagens secundários, sem ofuscar os protagonistas, e todos eles possuem um papel importante para a construção da trama. Mas o melhor de tudo é o romance quente e explosivo entre Remy e Brooke!
Preciso dizer mais alguma coisa? Corre e vai ler, não perde tempo!!


Sobre o autor:

Oi, sou Katy Evans e adoro familia,livros,vida e amor. Sou casada, tenho dois filhos e três cães e passo meu tempo cozinhando,caminhando,escrevendo,lendo e cuidando da minha familia. Obrigado por passar um tempo comigo e ter escolhido minha historia. Espero que tenha passado um tempo maravilhoso com ela, como eu passei. Se quiser saber mais sobre os livros que estou escrevendo, me procure na internet, adoraria ter noticias suas!
beijos,
Katy.
Texto retirado do agradecimento da autora ao fim do livro Real.

Katy Evans é o autor do best-seller NYT com a série Real.
Katy cresceu com livros e namorados literarios até que encontrou um namorado sexy de verdade para amar. Eles se casaram e agora estão trabalhando duro em seu próprio felizes para sempre. Katy ama sua família e amigos , e ela também adora ler, caminhar, cozinhar, e ser consumida por seus personagens até que eles atinjam o  "The End ". O que é , espero, só o começo ...

10 comentários:

  1. O fato do começo do livro ser bem Belo Desastre como você mesma falou me incomoda, porque eu não gostei de BD ai fica aquela sensação de que também não vou gostar desse.
    Eu sei que a partir daí tudo é diferente e é exatamente isso que me fez querer passar por cima dessa sensação.
    kkkkkkkkkkk Brooke queda d'água foi ótimo, ri demais aqui.
    Bom, eu quero ler o livro só não acho que é uma leitura que vou fazer agora, vai ser um pouco mais pra frente.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Iêda!!
      Então, eu amei BD, não posso falar muito! Mas o fato é, a semelhança existe só pelo modo como eles se conhecem, pois o Remy é muito diferente do Travis, muito mais intenso, e Brooke é mais guerreira, não faz o tipo menininha inocente e carente.

      Excluir
  2. Olá, Geeh. Tudo bem?
    Gostei bastante da sua resenha, aprofundada e explicativa. Mas, para ser sincero, não sei se iria gostar tanto do livro. Achei a construção dos personagens um pouco clichê e na hora lembrei do livro que você citou, mesmo tendo lido apenas resenhas dele. Não obstante, não me agrada muito conteúdo hot em livros. Mas quem sabe eu dê uma chance mais para frente.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de novembro

    ResponderExcluir
  3. Oi Geeh, se empolgou nessa resenha hen? Rs
    Eu tenho vontade de ler esse livro, apesar de que com certeza a Brooke vai me irritar com essa coisa de tesão 24 horas. O Remy com certeza é um personagem do tipo que eu gosto e essa capa é linda mesmo. Uma pena a revisão ser ruim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Culpada!!! kkkkk eu sempre procuro manter as resenhas em um nivel "padrão", em um determinado tamanho, para não ficar pequena e nem cansativa! Mas nessa, quando me dei por conta já estava quase o dobro nas "normais"!! Sem contar que eu já tinha pelo menos uns 30 quotes marcados e uma meia duzia de fotos salvas para fazer montagem!!

      Excluir
  4. Oi! Eu tinha começado a ler esse livro, mas não consegui seguir em frente. Assim como você citou, o linguajar é vulgar e isso me irritou muito. Parei um pouco depois da luta dele que eles se conheceram. Gosto de eróticos que não tem o sexo como o ponto forte e sim como uma "consequência", e nesse livro eu percebi que ele é predominante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é não, Nadja!! O linguajar é vulgar sim,e não é escrito realmente deste modo, peguei o ebook em inglês para conferir e é bem mais "suave", acho que o fato do tradutor ser homem complicou um pouco as coisas. Mas sexo não é prodominante, acontece mesmo só da metade para o fim e nem é lá tão detalhado.

      Excluir
  5. Oiii
    ainda não li ele,mas me falaram que e muito bom,pela resenha fiquei mais curiosa ainda,ele ja entrou na minha lista
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Adooorei sua resenha super completa fiquei bastante curiosa em conhece
    esta obra mais a fundo!
    A historia parece ser inspiradora !

    ResponderExcluir
  7. SOCORRO
    Eu ri que nem uma louca com essa resenha, e me abanei muito também! Haha O começo é totalmente Belo Desastre, já ia falar aqui no comentário antes de ver que você menciona isso na resenha! Kkk Eu gosto bastante da ideia da autora, mesmo tendo todo esse lance clichê do gênero. E essa capa é UOU, vem cá, bonitão! Kkk Pena que tem muitos erros de revisão! Mas irei lê-lo assim mesmo, já to louca aqui!
    Beijos

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz