2


Resenha: Espada de Vidro - Victoria Aveyard

Edição: 1
Editora: Seguinte
ISBN: 9788565765947
Autor: Victoria Aveyard
Serie : A Rainha Vermelha - Livro 2
Titulo Original: Glass Sword
Ano: 2016
Páginas: 496
Tradutor: Cristian Clemente
Adicione ao "Skoob".

Sinopse:
O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar.
Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.



Este o segundo volume da serie, para conferir a resenha já postada aqui no blog de "A Rainha Vermelha", é só clicar no título.
Resenha:
"Se sou uma espada, sou uma espada de vidro, e já me sinto prestes a estilhaçar."
Uma única palavra para descrever esse livro: Revoltante!! Acontece que a trama tem uma queda vertiginosa entre o primeiro e o segundo livro que nem parece ser escrito pela mesma autora.
A Rainha vermelha  li em trés dias,  eu comia com o livro do lado e dormia por cima dele, pois passava grande parte da noite lendo, e quando não podia ler, estava pensando no livro e tramando teorias mirabolantes. Já  Espada de Vidro eu demorei exatamente 35 dias para concluir e intercalei com diversos outros livros para conseguir ter animo para terminar a leitura, e ao final me senti enganada e insultada.

Espada de Vidro começa exatamente onde A Rainha vermelha terminou. Mare, Cal e seus outros companheiros que conseguiram escapar de Maven após sua traição agora querem a aniquilação do novo rei. Mas também agora tem um outro proposito. Julian revelou para Mare que seus poderes, apesar do sangue vermelho, são frutos de uma anomalia genética, e que existe diversas outras pessoas com esses mesmos dons no mundo, e esta é uma informação que Maven também tem, e por isso a caçada aos outros “sanguenovos” é uma luta contra o relógio, pois assim como Mare quer encontra-los, para treinar e criar um exercito poderoso que terá chance contra o Rei e os prateados que o seguem, Maven também quer encontra-los, mas seu único  proposito é a morte de todos eles, seja pelo medo de que sejam revelados ou simplesmente para atingir Mare e Cal.
E para essa missão, Mare Barrow vai precisar contar com a Guarda Escarlate, a resistência dos que nasceram com sangue vermelho e que vem se mostrando um exercito organizado e capaz. Mas Mare vai encontrar problemas e traições com eles também, já que ela agora não é nenhum e nem outro, ela não é completamente vermelha, pois possui poderes que somente os prateados deveriam ter  e também não é prateada, já que o sangue que corre em suas veias é rubro. Sem contar no fato de que seu próprio povo agora a teme. A Garota Elétrica substituiu Mare Barrow e agora ela precisa ser a face da revolução, e não mais a menina pobre que precisava apesar se preocupar com o que colocar na mesa de sua família.
"A garota que vejo é, ao mesmo tempo, familiar e estranha - Mare, Mareena, garota elétrica, rainha vermelha - e ninguém ao mesmo tempo. Não é prateada. Não é vermelha. Não é humana. Um símbolo da Guarda Escarlate, um rosto num cartaz de procurados, a perdição de um príncipe, uma ladra... Uma assassina. uma boneca que assume qualquer forma, menos a própria."
E o enredo termina ai. Esqueça aquele clima de suspense do livro passado, esqueça as intrigas e tramoias. Sinceramente, não existe nem um vilão ativo nessa trama, o Maven e a mãe dele, a Elara, que eram o “agito” da trama passada estão totalmente apagados. Eles são sim uma sombra que paira sobre a protagonista, mas sem ter voz ativa, pelo menos até o ultimo capitulo, que é onde as coisas realmente acontecem.

A autora também apostou em algo nesse livro, que ao meu ver, foi um tiro no pé. Ela focou bastante no romance entre Mare e Cal, um romance sem graça, que não acontece e nem “desacontece”, eles passam o livro inteiro naquele chove e não molha irritante.
E por falar em irritante, vamos falar sobre Mare. Eu simplesmente estou chocada. Nunca, em todos esses meus anos de leitora encontrei uma protagonista que regredisse tanto de um livro para o outro. Normalmente elas evoluem para se tornar aquele personagem marcante e impactante no ultimo livro, deixando o leitor completamente envolvido por ela. Aqui não foi este caso. Em A Rainha Vermelha Mare é uma lutadora, uma sobrevivente. É claro que ela toma algumas decisões contraditórias, mas é algo que faz parte e mesmo assim nos fez torcer por ela. Mas, em Espada de Vidro ela se torna egoísta, mesquinha e manipuladora. Não exagerando, ela é o mais próximo de um vilão que vamos ter, vai matar sem misericórdia e sua jornada em prol dos vermelhos, se torna um banho de sangue, tanto vermelho quanto prateado. Seu único foco é destruir Maven, nada mais. E ao mesmo tempo em que se torna cruel, ela acredita ser tudo justificável e vamos precisar aturar uma ladainha de “ninguém me entende” e “ninguém me apoia” quando todos os amigos mais próximos dela começam a se afastar por conta de suas atitudes.

Em oposto, vamos ter Cal, um ser precioso demais para este mundo, e acima de tudo, precioso demais para estar perto da Mare. Ele é um personagem que vai ter crescimento significativo, ele passa do príncipe protegido para um guerreiro, que vai precisar enfrentar fome, frio e a crueldade para sobreviver e tentar fazer a diferença. E ele vai fazer a diferença, apesar de ser visto pela maioria dos vermelhos como uma ameaça iminente.

Enfim gente, não tenho muito o que dizer, já que o livro inteiro é basicamente só isso, a caça aos sanguenovos, seja por Mare ou por Maven. A única coisa que eu posso dizer é que todos o meu amor e entusiasmo foram aos pouquinhos  se desfazendo e sendo substituídos por um tédio infinito e a vontade de que essa trama enfadonha e arrastada acabasse logo.

Faltou tudo nesse livro, faltou novamente um romance descente, afinal se é para ter , que seja algo envolvente e intenso.  Faltou caráter e personalidade para a protagonista. Faltou faco em personagens que realmente valem a pena, como o Cal. Mas, acima de tudo, faltou respostas. Nisso a autora trabalhou bem, pois se você chegou até aqui na leitura, mesmo não curtindo, vai ser obrigado a ler os próximos livros, pois simplesmente NADA é resolvido aqui.

Mas, como no anterior, é inegável que a autora tem talento, as cenas são bem detalhadas e a escrita é simples e fluida, apesar da falta de ação. Não é uma escrita que me agrade totalmente, a impressão que tenho é que estou lendo um livro técnico, falta emoção, por assim dizer.

Sobre a edição física, assim como o volume anterior, é maravilhosa, possui uma capa linda e metalizada, a diagramação é bem elaborada, paginas amareladas, fonte agradável para a leitura e uma revisão impecável, sem erros aparente.

Sobre o autor:

Cresceu em Massachusetts e frequentou a Universidade do Sul da Califórnia, em Los Angeles. Formou-se como roteirista e tenta combinar seu amor por história, explosões e heroínas fortes na sua escrita. Seus hobbies incluem a tarefa impossível de prever o que vai acontecer em As Crônicas de Gelo e Fogo, viajar e assistir a Netflix.

2 comentários:

  1. Ainda não li o primeiro, mas já vi que vou me desanimar nesse, poxa pelas resenhas o primeiro é tudo de bom e acontece muitas coisas e esse nada que triste. Como a autora pôde perder o pique do anterior, deduz-se que esse seria ainda melhor.Fiquei impressionada como a protagonista parece der decaído ao invés de ter evoluído mais ainda.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Geeh.
    Uma pena que essa obra esteja tão abaixo da sua antecessora. Com um universo tão rico, é bem chato a autora ter apostado apenas em um romance que nada acontece. Mas enfim, essas coisas acontecem.
    Ótima e sincera resenha.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de maio. Serão três vencedores!

    ResponderExcluir

Arquivo

© Livros de Elite - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Andréa Bistafa.
http://i.imgur.com/wVdPkwY.png