3


Resenha: A Garota sem Passado - Michael Kardos


Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580414912
Ano: 2016
Páginas: 304
Tradutor: Marcelo Mendes


Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: Num domingo de setembro de 1991, Ramsey Miller deu uma festa em casa para os vizinhos. Depois, assassinou a esposa e a filha de 3 anos. Todo mundo na pacata cidade de Silver Bay conhece a história.
Só que todos estão errados. A menina escapou. Sob o nome falso de Melanie Denison, ela passou os últimos quinze anos escondida com os tios numa cidadezinha remota. Nunca pôde viajar, ir a uma festa na escola ou ter internet em casa, porque Ramsey jamais foi encontrado e poderia ir atrás dela a qualquer momento.
Mas, apesar das rígidas regras de segurança impostas pelos tios, Melanie se envolve com um jovem professor da escola local e engravida. Ela decide que seu filho não terá a mesma vida clandestina que ela e, para isso, volta a Silver Bay para fazer o que nem os investigadores locais, nem a polícia federal, nem o FBI conseguiram: encontrar seu pai antes que ele a encontre.


"Tão bem intencionados, todos eles, e tão ingênuos..."

Quando eu vi o lançamento deste livro, não dei nada para a obra. Após ler a sinopse, fiquei um tanto curiosa, mesmo assim, o meu medo por ter uma protagonista nova demais, quase me fez desistir de solicitá-lo. Ainda bem que não fiz isso, porque gente, que livro incrível!
"Se eu posso provar? Não enquanto o corpo da menina Meg não for encontrado, o que jamais acontecerá. Não há como dragar um oceano. Por mais violentos que tenham sido, os homicídios cometidos por Ramsey Miller ocorreram em uma cidade provinciana. O sujeito não era um gênio do crime. Por que diabo ele fez o que fez? Como conseguiu evaporar? Essa ausência de respostas me rouba o sono há mais tempo do que eu consigo lembrar."
A sinopse já é bem explicativa, então vou fazer um pequeno resumo: Neste volume, vamos conhecer Melanie Denison, que na verdade é Meg Miller. Quando tinha apenas 2 anos, seu pai, Ramsey Miller, fez uma festa em sua casa em um domingo; convidou a vizinhança toda, e após o término, matou sua esposa, mãe de Melanie, e a jogou na fogueira que havia feito no quintal. Ambos desaparecidos depois do ocorrido - Melanie dada como morta por todos, e Ramsey foragido.
Por todos esses anos, Melanie não sabe o que é ser uma garota normal. Vive com seus tios em uma remota cidade na Virgínia Ocidental. Vive com medo de seu pai a encontrar e terminar o que começou a 15 anos atrás - conseguir matá-la.


Deste ponto, nós podemos presumir que a história já tem um final, certo? Errado! Preparem-se para conhecer segredos, mentiras, traições; o leitor também vai encontrar uma protagonista forte, destemida e que fará de tudo para dar uma vida melhor ao seu bebê, já que descobriu que está grávida e não quer a mesma vida para sua criança.
"Terminada a leitura, ela recolocava as correspondências no envelope pardo no fundo da gaveta e sempre dizia a si mesma para não esperar que um herói fardado viesse salvá-la. Afinal, quinze anos haviam se passado. Os únicos heróis daquela história eram seus tios Wayne e Kendra, que tanto haviam se sacrificado para protegê-la. Mas isso não facilitava as coisas."
Tenho que admitir que não consegui prever o final. Apesar de aparentar um romance policial, não é o que encontramos aqui. Melanie decide por conta própria por o pé na estrada e voltar para sua antiga cidade e refazer os passos de seu pai naquele fatídico dia. Para isso acontecer, ela contará com a ajuda de um velho jornalista que tem este crime como uma relíquia, pois nunca conseguiu descobrir o que incentivou Ramsey a agir de tal forma. Arthur Goodale está preso em uma cama na UTI, e o livro começa com um post que o mesmo faz para seu blog, despedindo-se de seus seguidores.


Melanie, apesar de ter sido criada em uma cidade pequena, tem um gênio forte e destemido. Após descobrir sobre sua gravidez, ela decide que tem que por um fim nessa história para se sentir livre e criar sua criança. Com apenas 17 anos e muita coragem, Melanie volta a Silver Bay, mas a princípio, não conta a ninguém quem realmente é. Aos poucos, ela ai descobrindo pequenas coisas e mesmo que seu pai a encontre, ela corre perigo pelas mãos de outras pessoas que querem manter essa história do jeito que está.
"Ramsey se sentou no banco de metal verde de uma das mesas de piquenique e ficou vendo a filha se divertir. Naquela tarde ensolarada, sua vontade era que o tempo parasse por completo ou pelo menos passasse mais devagar, mas os segundos pareciam voar. Meg era fruto da sua relação com Allie, mas não era igual a nenhum dos dois. Aos poucos ia se transformando em uma pessoa única."
Não consigo descrever este livro com outra palavra que não seja maravilhoso! Michael Kardos consegue nos prender a trama e mostrar todas as faces desse crime não resolvido. A forma como a verdade é revelada, aos poucos, dando prazer ao leitor, é o que mais me deixou absorta durante a leitura. Não pense que você, caro leitor, conseguirá seguir a linha de raciocínio do autor. Durante boa parte do livro, você sentirá pena das pessoas erradas e odiará as pessoas certas.
Os personagens são carismáticos e bem construídos, nos enganando facilmente. O autor criou cada um com maestria, dividindo a vida de cada um em míseros pedaços para ir realocando-os durante a história para que tudo fizesse sentido quando a verdade fosse revelada. São personagens humanos, que erram, mentem, são egoístas, manipuladores, traidores, sobreviventes. Cada um deles me ganhou de um jeito diferente, e acredito que essa tenha sido a intensão do autor: nos tornar amigos dos personagens para, enfim, nos deixar de queixo caído com o final.


A narrativa é em terceira pessoa e não acompanha somente Melanie. Você vai conhecer a história toda pelos personagens que formam a trama. A linha do tempo não é precisa: começamos com o post de Arthur em 2006 e durante a leitura, voltamos a 1991 para acompanhar o que levou Ramsey a fazer o que fez. Os capítulos são curtos, divididos por números e algumas vezes, pela data do acontecimento. A escrita do autor é gostosa, sucinta e pouco descritiva. Ele vai direto ao ponto, sem rodeios, o que gostei muito. Também trás uma carga mais leve para este enredo tão intenso. tenho certeza que vocês vão rir durante algumas cenas! ;)
"E se Eric - ou seu tio Wayne, ou Paul - tivesse passado na casa depois? Será que isso teria mudado tudo? Sua mãe poderia estar viva agora? Seu pai seria apenas alguém que havia passado por uma fase difícil, em vez de um assassino fugindo da polícia ou, pior, um assassino caçando a filha sobrevivente?"
A capa é linda, toda fosca com verniz localizado na palavra PASSADO. Também condiz com o enredo, o que torna o livro mais perfeito do que já é. A diagramação é simples, mas bem feita, sem erros de revisão.
Não tenho mais o que falar sobre o enredo sem soltar algum spoiler para vocês. Então, se vocês se sentiram curiosos com a minha resenha, corra e adquira seu exemplar, tenho certeza que vocês vão adorar essa história única e, depois que terminarem, vão ficar como eu fiquei, repassando a história na minha cabeça e tentando se convencer de que sabia que o final era esse. (mas na verdade, não sabia nada! rsrsrsrsr)



Avaliação:



Sobre o autor:





Michael Kardos é escritor de romances e contos, que já foram publicados em revistas especializadas e lhe renderam diversos prêmios literários. Cresceu em Nova Jersey, formou-se em música na Universidade de Princeton e foi baterista profissional por muitos anos. Depois que terminou o doutorado, tornou-se um dos diretores do programa de escrita criativa da Universidade Estadual do Mississippi.







3 comentários:

  1. Olá, Ana.
    Eu ganhei esse livro nessa semana, então estava mesmo querendo ler uma resenha confiável sobre a obra.
    A premissa é muito boa e até meio inquietante. Acredito que deva ficar ainda melhor por causa da protagonista forte. Adoro personagens assim.
    Sem dúvidas, lerei a obra.
    Ótima resenha.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de maio. Serão três vencedores!

    ResponderExcluir
  2. Só pela sinopse eu já compraria o livro sem nem pensar duas vezes. E se fosse uma decepção, paciência, a gente sempre passa por esse tipo de coisa. Pela sua resenha eu imagino que seja um livro único, mesmo inserido no enorme meio que é a ficção policial.
    Beijos

    http://notasmentaisparaumdiaqualquer.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Nossa parece ser daqueles livros que nos surpreende. Fiquei intrigada com o motivo que levou o pai a fazer o que fez e querer acabar com a filha. Ah e pelo visto é daqueles livros que engana o leitor, confunde, achamos que é uma coisa e na verdade é outra kkkk.

    ResponderExcluir

Arquivo

© Livros de Elite - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Andréa Bistafa.
http://i.imgur.com/wVdPkwY.png