10


Resenha: Você Se Lembra de Mim? - Megan Maxwell

Edição: 1
Editora: Planeta
Selo:  Essência
ISBN: 9788542207057
Autor: Megan Maxwell
Titulo original: Hola, ¿ te acuerdas de mi?
Ano: 2016
Páginas: 496
Tradutor: Sandra Martha Dolinsky
Adicione ao "Skoob"

Sinopse:
Alana é uma mulher independente que não acredita no amor e tem na profissão sua única razão de viver. Jornalista freelancer, é enviada a Nova York para escrever uma reportagem sobre a metrópole, onde conhece o atraente Joel Parker. Quando ela descobre que aquele homem bonito e sedutor que tem lhe feito companhia nos últimos dias é um militar, como seu pai uma lembrança que ainda a assombra , a jornalista desaparece sem deixar vestígios. Apesar de resoluta em sua vontade de se afastar do capitão da Marinha americana para não repetir a história de sofrimento de sua mãe, ela não conseguirá aplacar o desejo de seu coração por Parker. Quem vencerá essa disputa entre razão e emoção? O passado de sua mãe irá assombrá-la ainda mais ou irá ajudá-la a esclarecer muitas questões mal resolvidas?
Resenha:
“- Olá, você se lembra de mim?”
Primeiro de tudo eu gostaria de dizer que nada, nem mesmo a sinopse, me preparou psicologicamente para este livro. Não mesmo. Jamais esperaria uma trama tão verdadeira, envolvente e emocionante. Eu estava esperando só mais um romance hot, cheio de cenas de sexo e um romancezinho meia boca e clichê. Bem do jeito que eu curto! (desculpa sociedade!!). Mas eu não poderia estar mais enganada. "Você se lembra de mim?" É lindo e emocionante, do inicio ao fim. E o mais lindo de tudo é que a trama não é uma ficção, partes dela é verídica! Nem sei como vou colocar em palavras todos os sentimentos e emoções que este livro despertou em mim, mas eu vou tentar, prometo.

"Você se lembra de mim?" Se divide em duas partes, para ser mais exata. A primeira se passa em 1960 e relata a historia de Carmen e Loli, duas irmãs espanholas que estão partindo rumo a Alemanha para tentar uma vida melhor ao fim segunda guerra mundial.
Após deixar para trás a família, as duas seguem rumo ao desconhecido. Durante o trajeto elas conhecem Tereza, que também é espanhola e chegando em Nuremberg, seu novo lar, conhecem também Renata, uma alemã que usa calças e fuma, para espanto das espanholas.
"Como sempre ouvi minha mãe dizer, podemos enganar as pessoas e a nós mesmos, mas ao coração não se pode enganar. Ele é o primeiro a saber o que está acontecendo e, sem dúvida, meu coração sabe que eu amo esse americano."
As quatro se tornam inseparáveis, e Renata guia as outras três nessa nova faze da vida, visto que é a única que conhece a língua falada por lá. É ela também que faz um alerta: não se aproxime dos soldados americanos.  Renata teve um relacionamento conturbado com um deles e acredita que todos os soldados americanos em serviço na base alemã não prestam. Mas Loli e Carmen não tem os mesmo receios e logo começam um relacionamento com Dario e Teddy, respectivamente.
O tempo passa e tudo não poderia estar melhor para as espanholas, um emprego bom, saíram da pensão e agora alugam uma casa juntas com Tereza e Renata, sem contar que o relacionamento de ambas com seus soldados está firme e forte. Mas então uma noticia abala o pais: Presidente Kennedy foi assassinado. Começava ai a Guerra do Vietnã e todos os soldados americanos precisariam lutar para defender o seu pais, incluindo Teddy e Dario.
"Isso me fez entender a pressa dos militares e perceber que, quando queremos uma coisa e surge a oportunidade, não devemos deixá-la escapar, porque a vida, assim como dá, toma."
Pulamos para os anos 2000, 38 anos após a historia de Carmen e Loli e agora vamos acompanhar Alana, uma jornalista renomada e decidida, e que foge de relacionamentos conturbados desde que foi abandonada pelo noivo poucos dias antes da cerimonia do casamento.

Atualmente Alana trabalha em uma renomada revista da Espanha e apesar de chefe a odiar , pelo de fato de Alana chamar mais a atenção dos homens, ela parte para fazer uma reportagem importante em Nova York, junto com a sua melhor amiga Isa, que é fotografa e também lésbica assumida.

Entre um trabalho e outro, é claro que elas resolvem aproveitar a cidade, e Isa acaba conhecendo Karen. Desesperada para apresentar para Alana a sua nova paquera, ela convence a amiga a sair com elas para jogar sinuca e beber em um badalado bar. E é lá que Alana vai conhecer Joel, um dos amigos de Karen, um homem sexy e sedutor, dono de uma beleza considerável e um corpo esculpido. A tensão sexual entre ele e Alana é imediata e logo o casal decide terminar a noite em um local privado. Mas, entre um amasso e outro, Alana descobre por baixo da camisa de Joel as suas “dog tags”, que nada mais são do que suas identificações no exercito, o identificando como um fuzileiro Naval, um capitão da Marinha Americana. Isso é um banho de água fria na garota, que logo dispensa o rapaz sem mais nenhuma palavra, deixando Joel completamente atordoado.
O motivo? Alana passou a vida toda ouvindo e presenciando o sofrimento de sua mãe, que se apaixonou por um soldado americano que precisou partir para a guerra, a deixando como mãe solteira, o que era extremamente mal visto na época, e de que nunca mais tiveram noticias. Apesar de acreditar que seu amor morreu na guerra, a mãe de Alana nunca deixou de sofrer por ele e por não ter noticias concretas,  afinal eles não eram casados. Ou seja, Alana perdeu o pai e a sua mãe o grande amor de sua vida para o exercito americano.
"- Deixe-me entender: Nova York é enorme, imensa.Por que eu tive que conhecer justamente um Fuzileiro Naval?"
Para Alana, Joel é território proibido, nunca, em hipótese alguma ela quer o mesmo futuro que sua mãe teve, ficar esperando dia após dia noticia de alguém que ela não sabe se sobrevivera para ver o dia clarear... ela não pode imaginar tamanho sofrimento e nem o deseja para sua vida.
Ela não sente falta do pai, afinal, nunca o conheceu, mas e se ela se apaixonar por Joel? Esse é um risco que ela não quer correr, então, o melhor é cortar o mal pela raiz. Mas não é isso que Joel tem em mente. Alana o intriga, e ele se vê cada dia mais inclinado a procurar a jornalista, apesar das constantes rejeições.

Mas Geeh, são historia totalmente diferentes, é como ler dois livros, não é? Sim, senhor!! É mais ou menos isso, a não ser pelo fato de que o contexto é semelhante.
Gente, eu não posso falar muito, pois esse é um livro tão lindo, tão delicado e tão extremamente intenso que eu fico com medo de estragar para vocês a experiencia magnifica que é a surpresa que nos espera a cada pagina virada. Eu chorei, sorri, chorei mais um pouco, dei boas gargalhadas, chorei mais um pouquinho... Enfim, foi um livro me mexeu com o meu psicológico, como vocês podem perceber, principalmente a primeira parte. O romance de Carmen é Teddy é intenso e emocionante. E o mais legal de tudo, é que essa é a historia verídica. Carmen e Teddy são os pais de Megan Maxwell, a autora do livro. Ela explica ao inicio que a trama é verídica mais sofreu algumas alterações, afinal o livro é um presente para a mãe dela, que perdeu seu grande amor para a guerra e nunca teve o seu final feliz realizado. Então, Megan, com o seu maravilhoso dom da palavra o criou de forma fictícia. Lindo, não é? Eu chorrei horrores minha gente, chorei mesmo, feito bebe.

Eu nunca tinha lido nada escrito pela autora, até comecei “Vai sonhando!”, mas no fim abandonei a leitura por falta de tempo mesmo, não por falta de vontade. E que surpresa foi a escrita de Megan Maxwell! A autora tem uma escrita simples e fluida, repleta de detalhes, que é como se você estivesse vivendo o livro, sofrendo junto com os seus personagens e compartilhando de suas angustias. O fato de o livro ser, em parte, verídico é a cereja do bolo e mostra a total entrega da autora para com o seu trabalho. Sem contar, é claro, que além da riqueza de detalhes escritos, a autora também anexou mas ultimas paginas algumas fotos de sua mãe e de sua jornada na Alemanha, intensificando ainda mais essa ligação entre leitor e personagens.

 É claro, que como é um romance adulto, vamos ter sim as cenas de sexo. Todas bem escritas, detalhadas, mas não vulgares, deixo extremamente claro isso, afinal “Voce se lembra de mim?” é um livro com uma carga emocional bastante grande e dois romances extremamente bem desenvolvidos, nada apelativo ou vulgar.

A construção dos personagens também é algo que me agradou e me fez ficar ainda mais envolvida com a trama. Obviamente a trama de Carmen é verdadeira, então essa realidade já esta incluída na bagagem, mas a de Alana também é envolvente, apesar de fictícia. Essa mescla de realidade e ficção foi maravilhosa, e autora fez a trama se desenvolver com maestria, nos brindando com um obra que, com certeza, é uma das mais emocionantes que li esse ano.

Mas não é só a trama que é maravilhosa, a parte física e o trabalho da editora planeta também são de extrema qualidade. O livro possui uma diagramação simples, mas de bom gosto, com uma fonte agradável para leitura e paginas amareladas. Apenas a revisão poderia ser um pouco melhor, existe alguns erros, principalmente do meio para o fim.

Acho que depois de tudo isso, já ficou claro que “Você se lembra de mim?” ocupou um espaço especial na minha estante e no meu coração, assim como Megan Maxwell, de quem eu pretendo ler outras obras, com certeza.

Enfim, quem gosta de um romance envolto em contexto histórico, não pense duas vezes, corre e compra. E até mesmo quem não é adepto ao gênero, compra também, eu garanto que é uma historia que vai arrancar lagrimas da maioria das pessoas.

Sobre o autor:

Megan Maxwell, nascida na Alemanha e radicada na Espanha, de mãe espanhola e pai americano, é uma famosa escritora de romances eróticos e femininos que vem conquistando diversos prêmios como o Prêmio Internacional de Seseña (2010, 2011 e 2012) e o Prêmio Dama de Clubromantica.com (2011), desde de seu primeiro lançamento "Te lo Dije" em 2009.
Com mais de 20 títulos lançados, sendo 10 já publicados aqui no Brasil, seus relatos picantes ganharam fãs em todo o mundo inclusive por aqui onde a sua trilogia Peça-me o que quiser se tornou um best-seller.
Megan atualmente vive em um vilarejo perto de Madri na companhia do marido, filhos, seu cão Drako, e seus gatos Romeu e Julieta.


10 comentários:

  1. Sei que não devemos julgar uma história por sua capa, mas se eu não tivesse lido sua resenha, jamais olharia para este livro. A capa realmente não me agradou. Mas gostei muito da história que a autora nos trouxe, principalmente por ser uma história de vida real misturada com ficção, relatando um romance tão bonito e surpreendente, em meio á alegrias e dores. Eu sou apaixonada por amores proibidos vividos por soldados e mulheres esperançosas, aguardando ansiosamente a volta de seus amados. E assim como você, sei que irei me emocionar fazendo a leitura de Você Se Lembra de Mim? Procurarei para ler, com toda certeza.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Gente, se só a sua resenha conseguiu deixar meus olhos marejados, imagine o que o livro não vai fazer com meu coraçãozinho?
    Confesso que a sinopse do livro não atraiu muito, por achar que seria mais um romancezinho clichê, meia boca e previsível.
    Mas sua resenha me fez perceber que não devemos julgar um livro, bom, pela sinopse.
    Agora estou desejando esse livro mais que tudo.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Geeh.
    Confesso que é um livro que não me chama atenção, porém, por outro lado, fiquei curioso. A obra parece estar um degrau acima das obras do gênero. Talvez pela carga sentimental e psicológica, não sei. Contudo, de certa forma, o livro parece ser maior do que a maioria.
    O fato das cenas hots serem detalhadas, mas não vulgares, é um elemento positivo para mim.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de junho. Serão quatro livros e dois vencedores!

    ResponderExcluir
  4. Fiquei curiosa com essas duas historias se em algum momento elas vão se interligar, ou não. Quando não esperamos muito de um livro e ele nos surpreende é uma sensação maravilhosa. Historias que envolvem a guerra são sempre sofridas e nos fazem repensar sobre nossas atitudes. Gosto de historias verídicas, de saber que aconteceu de verdade.

    ResponderExcluir
  5. Oi.
    Eu adorei a sua resenha, gosto bastante de livro com essa temática e esse simplesmente não foi diferente, a capa é bonita e adorei saber que o livro é baseado em fatos reais.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
  6. Fiquei bastante curiosa com este livro, já vi outras resenhas falando bem. Não conhecia a autora mais o enredo deste livro me chamou atenção, apesar de ser um gênero literario que não curto muito.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Parabéns pela belíssima resenha. O livro deve ter uma leitura muito agradável e por suas palavras tão positivas, fiquei bem curiosa para saber o desenrolar dessa história. Não conheço as outras obras dessa autora, mas sempre vejo comentários muito positivos. Obrigada pela dica. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. eu nunca li nada da megan e pelo jeito eu estava totalmente enganada eu achava que os livros dela eram mais um, mas pelo jeito os personagens tem uma carga emocional que faz a gente amar. sem falar q eu adoro essas histórias dentro de histórias, mais um para a minha lista

    ResponderExcluir
  9. Ola Parabéns por descrever tão a história fico feliz de compartilhar o amor pela escrita de Megan Maxwel ja conheço varios de seus livros e na maioria amei.

    ResponderExcluir
  10. Ola Parabéns por descrever tão a história fico feliz de compartilhar o amor pela escrita de Megan Maxwel ja conheço varios de seus livros e na maioria amei.

    ResponderExcluir

Arquivo

© Livros de Elite - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Andréa Bistafa.
http://i.imgur.com/wVdPkwY.png