29 junho 2017

Elite Digital: E-books Clássicos na Amazon


Oi pessoal!!!!
Fazia um bom tempo que eu não postava essa coluna neh? Pois bem, resolvi postar hoje porque fui conferir os e-books de graça na Amazon e me deparei com vários livros clássicos a um precinho bem camarada!!! A maioria custa entre R$ 1,99 e R$ 2,99 *-* Fiquei encantada, baixei vários para mim e claro, trouxe aqui para vocês terem a oportunidade de baixar tbm! Bora?
Lembrando que: Não é necessário ter um Kindle para baixar os e-books ta? Você pode baixar o aplicativo Kindle no seu celular, tablet, computador ou Ipad. É só clicar AQUI, fazer seu cadastro na Amazon (se ainda não tiver) e baixar o aplicativo!

Clique nas capas para baixar o e-book:



Humilhados e Ofendidos - Fiódor Dostoiévski
Nesta obra, narrada pelo jovem escritor Ivan, dois enredos vão convergindo gradualmente. Natascha, amiga de infância e amada de Ivan, foge de casa dos pais para casar com Alyosha, o filho do Príncipe Valkovsky que não aprova esta união. Entretanto Ivan conhece Elena, uma órfã de treze anos, que é adotada por Nicolai, o pai de Natascha. E é ao contar a sua triste história que a menina consegue que Nicolai perdoe a sua filha. Uma narrativa envolvente e cativante onde o sofrimento humano é retratado com mestria.

Crime e Castigo - Fiódor Dostoiévski
Datado de 1866, este é o primeiro dos grandes romances que Dostoiévski escreveu já em plena maturidade literária, sendo provavelmente a mais bem conhecida de todas as suas obras. Recriando um estranho e doloroso mundo em torno da figura do estudante Raskólnikov, perturbado pelas privações e duras condições de vida, é uma das obras por excelência fundadoras da modernidade. Pelo inexcedível alcance e profundidade psicológica, sobretudo no que implica a exploração das motivações não conscientes e a aparente irracionalidade nos comportamentos das personagens, este autor russo tornou-se uma referência universal na literatura, sem perda de continuidade até aos nossos dias.

Os Irmãos Karamazov - Fiódor Dostoiévski
O último grande romance de Dostoiévski (1879-1880), terminado pouco antes da sua morte, prova, juntamente com as obras «Crime e Castigo» (1866), «O Idiota» (1868) e «Os Possessos» (1871-72), que a fase final da sua vida foi a mais produtiva. «Os Irmãos Karamazov» é uma das mais geniais criações literárias de todos os tempos. Analista rigoroso do comportamento humano, Dostoiévski analisa em detalhe o sentimento de culpa desencadeado pelo assassinato de um pai e debate de forma sublime as infindáveis dicotomias da natureza humana, revelando uma inquietação que é já a do homem moderno.

Gente Pobre - Fiódor Dostoiévski
Gente Pobre marca a estreia de Dostoiévski na literatura, em 1846, e estabelece desde logo os fundamentos para uma abordagem social, psicológica e profundamente corrosiva da compreensão humana. A análise pormenorizada das personagens e suas convicções, enquadradas por um pano de fundo de crítica subtil, ganha em Dostoiévski uma força e um poder imagéticos que extravasam as páginas dos seus livros. Em «Gente Pobre», o autor transporta-nos para um dos bairros mais miseráveis de São Petersburgo, onde um funcionário de meia-idade troca correspondência com uma jovem costureira. Demasiado pobres para se casarem, o seu amor passa todo e apenas por cartas mantidas ao longo do tempo, que refletem a cruel realidade do dia a dia passado num ambiente de extrema precariedade. 

O Idiota - Fiódor Dostoiévski
Publicado por volta de 1868-1869, «O Idiota» é, porventura, o mais perfeito dos cinco grandes romances de Dostoiévski - na composição, no estilo, no aprofundamento dos personagens. Foi também, de todos os romances do autor, o mais incompreendido na sua época. Dostoiévski pretende, segundo as suas próprias palavras, «criar a imagem do homem positivamente bom», uma encarnação da beleza, da bondade e da humildade, figura de herói entre Dom Quixote e Cristo, mostrando o que pode acontecer a um homem assim, em contato com a realidade.

Os Maias - Eça de Queirós
a obra-prima de Eça de Queirós e considerada por muitos o maior romance português de sempre, centra-se na história da família Maia e dos amores incestuosos entre Carlos da Maia e sua irmã Maria Eduarda. Além de uma trágica história de amor, «Os Maias» é ainda uma feroz e mordaz crítica à sociedade decadente a nível político e cultural do final do século XIX e ao diletantismo da alta burguesia lisboeta oitocentista, com o humor satírico e refinado tão característicos do autor.

O Crime do Padre Amaro - Eça de Queirós
«O Crime do Padre Amaro» relata a história de Amaro, um jovem padre que entrara para a vida eclesiástica graças à imposição de uma nobre beata que o tinha sob sua guarda. Sem vocação nenhuma, o jovem padre aceita o seu destino passivamente, abraçando a sua profissão sem entusiasmo. Quando é enviado para Leiria conhece Amélia, que lhe desperta a paixão e a luxúria, levando-o a trair os votos de castidade proferidos na sua ordenação.

A Tulipa Negra - Alexandre Dumas
Em 1672, Guilherme de Orange toma o poder na Holanda. Cornélio Van Baerle, um promissor botânico cujo único desejo é criar uma tulipa negra perfeita, irá envolver-se inadvertidamente nas intrigas políticas da época. Depois do assassínio do seu padrinho, é acusado de traição e condenado à morte. Todas as suas esperanças repousam em Rosa, a bela filha do carcereiro. Os dois jovens verão o seu amor desenvolver-se ao ritmo do crescimento desta túlipa que Rosa cultivará no seu quarto. Mas há ainda um inimigo que terão de enfrentar...

Os Três Mosqueteiros - Alexandre Dumas
"Os Três Mosqueteiros" conta as aventuras de um jovem de dezoito anos chamado D'Artagnan. Esse jovem de sangue quente deixa a terra natal para se apresentar em Paris com a recomendação do pai ao fidalgo de Tréville, capitão da Companhia dos Mosqueteiros. Segue-se uma série de acontecimentos que fazem com que D'Artagnan tenha de duelar com os três mosqueteiros - Athos, Porthos e Aramis - e os guardas do cardeal Richelieu...

A Ilha Misteriosa - Júlio Verne
Publicada em 1874, «A Ilha Misteriosa» relata as aventuras de um grupo de abolicionistas americanos que encontra uma ilha desconhecida.
Neste livro, Verne tenta mostrar que o ser humano é capaz de viver longe da sociedade e de depender apenas da natureza. Um balão cai perto de ilha desconhecida no Oceano Pacífico. Os cincos sobreviventes enfrentam os obstáculos naturais impostos pela ilha misteriosa, desde animais selvagens e temperaturas extremas a um navio repleto de piratas. Nessa história empolgante, com um final surpreendente, Verne combina aventura e pesquisa científica em uma narrativa clara e dinâmica, entremeada pelo humor, ironia e criatividade.

20000 Léguas Submarinas - Júlio Verne
1866. Um medonho monstro marinho tem provocado o terror nos mares e causado sérios danos às ligações transatlânticas. Para tentar capturar o terrífico animal, é enviada uma expedição da qual faz parte o professor Pierre Aronnax, um eminente naturalista especializado em criaturas marinhas. Porém, para sua surpresa, o monstro não é outro senão o Naulitus, um submarino construído pelo enigmático capitão Nemo, que convida o professor e os seus companheiros de viagem, o fiel Conseil e o irascível Ned Land, a embarcarem com ele numa fabulosa jornada que os leva a percorrer vinte mil léguas pelo fundo dos oceanos.

Os Sertões - Euclides da Cunha
Considerada uma das obras-primas da literatura brasileira, «Os Sertões» descreve as batalhas entre os homens liderados por Antônio Conselheiro e o exército brasileiro. Com seu apurado estilo jornalístico-épico, Euclides da Cunha traça um retrato dos elementos que compõem a guerra de Canudos (a Terra, o Homem e a Guerra) e faz uma profunda análise sobre a vida do sertanejo, desvendando um Brasil até então obscuro.


A Escrava Isaura - Bernardo Guimarães
Escrito em plena campanha abolicionista (1875), o livro conta as desventuras de Isaura, escrava branca e educada, de caráter nobre, vítima de um senhor devasso e cruel.
O romance 'A Escrava Isaura' foi um grande sucesso editorial e permitiu que Bernardo Guimarães se tornasse um dos mais populares romancistas de sua época no Brasil. O autor pretende, nesta obra, fazer um libelo anti-escravagista e libertário e, talvez por isso, o romance exceda em idealização romântica, a fim de conquistar a imaginação popular perante as situações intoleráveis do cativeiro.

Memórias de um Sargento de Milícias - Manuel Antônio de Almeida
Na história de Leonardo - que gosta muito mais de se divertir do que de trabalhar - o autor faz uma irresistível e bem-humorada crônica sobre o cotidiano das classes baixas do Rio de Janeiro na época de dom João VI.
Esta edição, cuidada e revista, contém um índice ativo que facilita a navegação e a leitura.

Os Miseráveis - Victor Hugo
Esta obra é uma poderosa denúncia a todos os tipos de injustiça humana. Narra a emocionante história de Jean Valjean — o homem que, por ter roubado um pão, é condenado a dezenove anos de prisão. Os miseráveis é um livro inquietantemente religioso e político.


Ilíada - Homero
Primeiro livro da literatura ocidental, a Ilíada parece se tratar, pelo título, apenas de um breve incidente ocorrido no cerco dos gregos à cidade troiana de Ílion, a crônica de aproximadamente cinquenta dias de uma guerra que durou dez anos. No entanto, graças à maestria de seu autor, essa janela no tempo se abre para paisagens vastíssimas, repletas de personagens e eventos que ficariam marcados para sempre no imaginário ocidental. É nesse épico homérico que surgem figuras como Páris, Helena, Heitor, Ulisses, Aquiles e Agamêmnon, e em seus versos somos transportados diretamente para a intimidade dos deuses, com suas relações familiares complexas e às vezes cômicas.
Mas, acima de tudo, a Ilíada é a narrativa da tragédia de Aquiles. Irritado com Agamêmnon, líder da coalizão grega, por seus mandos na guerra, o célebre semideus se retira da batalha, e os troianos passam a impor grandes derrotas aos gregos. Inconformado com a reviravolta, seu escudeiro Pátroclo volta ao combate e acaba morto por Heitor. Cegado pelo ódio, Aquiles retorna à carga sedento por vingança, apesar de todas as previsões sinistras dos oráculos.
Esta edição em versos da Ilíada, com tradução do helenista português Frederico Lourenço, é acompanhada de textos introdutórios, uma lista das principais personagens e alianças bélicas e mapas que ajudam o leitor a compreender a complexa geografia homérica.

Dom Quixote De La Mancha - Miguel de Cervantes
Miguel de Cervantes criou com Dom Quixote (1605) uma das obras-primas da literatura de todos os tempos - com ela nasceu o romance moderno e seu herói tornou-se o arquétipo do idealista a qualquer preço. O idealismo da cavalaria e do realismo renascentista e picaresco são simbolizados nos dois personagens centrais. Dom Quixote representa o lado espiritual, sublime e nobre da natureza humana; Sancho Pança, o aspecto materialista, rude, animal.
Um dos escritores de maior repercussão na literatura universal, Miguel de Cervantes criou com Dom Quixote (1605) uma das obras-primas da literatura de todos os tempos: com ela nasceu o romance moderno e seu herói tornou-se o arquétipo do idealista a qualquer preço.
Dom Quixote teve seis edições no mesmo ano de sua publicação. Traduzido para o inglês e o francês, foi amplamente difundido em toda parte, até se tornar um dos mais lidos romances em todo o mundo.
Depois da Bíblia, El ingenioso hidalgo don Quijote de la Mancha é um dos livros mais traduzidos da literatura mundial.
Na província da Mancha, na Espanha, vive um fidalgo que, de tanto ler histórias de cavaleiros medievais, confunde fantasia e realidade e sai pelo mundo acreditando ser um deles. É acompanhado em suas aventuras por Sancho Pança, seu fiel escudeiro, que tem uma visão prática das coisas, mas é fascinado pela imaginação de seu amo.

Fausto - Johann W. Goethe
"Último grande poema dos tempos modernos", no dizer de Otto Maria Carpeaux, o Fausto de Goethe está para a modernidade assim como a Comédia de Dante para a Idade Média. Representa não só a obra máxima de seu autor, mas a suma do conhecimento e das aspirações de sua época.
A presente edição do Fausto I, bilíngue, devolve ao leitor brasileiro a elogiada tradução de Jenny Klabin Segall, isenta dos equívocos tipográficos acumulados em sucessivas reedições, e acrescida de apresentação, comentários e notas de Marcus Vinicius Mazzari. Além disso, traz ainda as famosas litografias de Delacroix e o chamado "Saco de Valpúrgis" — versos blasfemos que, num gesto de autocensura do próprio Goethe, permaneceram à margem da edição canônica de 1808, agora publicados pela primeira vez em nosso país.

Robinson Crusoé - Daniel Defoe
«Robinson Crusoé» foi o primeiro romance de Daniel Defoe. Produto de uma imaginação poderosa, foi um sucesso imediato e ainda hoje é uma das obras mais importantes e controversas da literatura inglesa.
«Robinson Crusoé» é a história das viagens e aventuras de um mercador, do seu naufrágio e da sua vida solitária numa ilha. Baseado na vida de Alexander Selkirk, é uma obra fascinante pelas suas descrições de Crusoé, do modo engenhoso e imaginativo como criava e usava utensílios e de como conhece e se relaciona com Sexta-Feira.

Contos - Edgar Allan Poe
Este volume reúne 33 contos de Poe publicados por ordem cronológica:
[1831] Metzengerstein
[1832] Silêncio
[1833] Um Manuscrito Encontrado numa Garrafa
[1834] A Entrevista
[1835] Berenice
[1835] Morella
[1835] O Rei Peste
[1835] Um Homem na Lua
[1835] A Sombra
[1837] Aventuras de Arthur Gordon Pym
[1838] Ligeia
[1839] Colóquio entre Eiros e Charmion
[1840] O Homem das Multidões
[1841] Colóquio entre Monos e Una
[1841] Leonor
[1841] Os Crimes da Rua Morgue
[1841] Uma Descida ao Maelstrom
[1841] A Ilha da Fada
[1842] A Máscara da Morte Vermelha
[1842] A Quinta de Arnheim
[1842] O Coração Delator
[1842] O Escaravelho de Ouro
[1842] O Mistério de Marie Roget
[1842] O Retrato Oval
[1843] O Gato Preto
[1844] A Carta Roubada
[1844] As Recordações de Bedloe
[1844] Revelação Magnética
[1845] O Caso do Senhor Valdemar
[1845] O Poder da Palavra
[1845] O Sistema do Doutor Breu e do Professor Pena
[1845] Pequena Discussão com uma Múmia
[1845] O Demônio da Perversidade

Ressurreição - Lev Tolstoi
Ressurreição, de 1899, o último livro publicado em vida por Liev Tolstói (1828-1910), completa o trio de seus grandes romances ao lado de Anna Kariênina e Guerra e paz (lançamento previsto para 2011). A primeira tradução brasileira direta do original russo, feita por Rubens Figueiredo, chega às estantes no ano do centenário da morte do autor. A apresentação do tradutor traz detalhes do contexto em que a obra mais polêmica do mestre russo foi criada e, ao lado do texto de quarta capa do cientista político Paulo Sérgio Pinheiro, atualiza sua dimensão literária e social.
No enredo, baseado em fatos verídicos, um príncipe é convocado a integrar um júri e reconhece na ré uma criada que ele engravidara anos antes. Prostituída, ela é detida sob as acusações de roubo e envenenamento de um cliente e por isso acaba condenada a trabalhos forçados na Sibéria. O aristocrata busca a salvação da jovem e a própria redenção espiritual, enquanto a narrativa revela os verdadeiros criminosos daquela sociedade.

Ilusões Perdidas - Honoré de Balzac
Ambientado na França do início do século XIX, Ilusões Perdidas, de Honoré de Balzac, é a história de Lucien Chardon, jovem rapaz movido pelo sonho de ser reconhecido socialmente e de se tornar rico. Amante do estudo e das artes, Lucien deseja publicar seus dois livros – uma coletânea de poemas e um romance histórico –, mas tem dificuldades para iniciar a carreira devido à virtude de sua origem humilde. Iludido pelo desejo de ascender socialmente, deixa para trás o trabalho de chefe de tipografia e instala-se em Paris, onde vive os dissabores de uma relação amorosa desaprovada pela sociedade. Quando conhece um grupo de jovens que, como ele, aprecia a instrução e a literatura, Lucien dedica-se a ingressar no jornalismo, sempre com o intuito de ver suas obras publicadas. O rapaz acumula diferentes experiências que reforçam como o apego ao dinheiro e às conveniências sustentam todas as relações sociais. O livro Ilusões Perdidas, traduzido e adaptado por Silvana Salerno e ilustrado por Odilon Moraes, mantém o cuidado com o texto original e oferece ao jovem leitor o acesso a um dos maiores clássicos da literatura.

A Mãe - Máximo Gorki
«A Mãe» é uma história revolucionária em todos os sentidos. Talvez nunca o espírito revolucionário tenha sido expresso de uma forma tão pungente, sincera e romântica.
Escrito e publicado em 1907, este romance descreve em pormenor a desgraça, a tristeza e a miséria em que vivia o povo russo no tempo do czar Nicolau II. É entre essa miséria que emerge um grito lancinante de revolta, o grito profundo das almas feridas que arrancará a esperança das profundezas da injustiça.

Dom Casmurro - Machado de Assis
Dom Casmurro, romance publicado em 1899 pela Livraria Garnier, continua a ser um dos livros mais famosos de Machado, sendo considerado um dos mais fundamentais de toda a literatura brasileira.
Seu personagem principal é Bento Santiago, o narrador da história que, contada em primeira pessoa, pretende "atar as duas pontas da vida", ou seja, unir relatos desde sua juventude até os dias em que está escrevendo o livro. Entre esses dois momentos Bento escreve sobre suas lembranças, sua vida no seminário, seu caso com Capitu e o ciúme que advém desse relacionamento, que se torna o enredo central da trama. Ambientado no Rio de Janeiro do Segundo Império, se inicia com um episódio recente onde o narrador recebe a alcunha de "Dom Casmurro", daí o título do romance. Machado de Assis o escreveu utilizando ferramentas literárias como a ironia e uma intertextualidade que alcança Schopenhauer e sobretudo a peça "Otelo", de Shakespeare.


Gente, eu estou completamente apaixonada por essas capas! São maravilhosas neh?
Acho que vou precisar de mais uma vida para ler todos os livros que tenho! hahahahahaha

Quer conferir os demais e-books de graça na Amazon? Clica AQUI e divirta-se!
Por hoje é só!
Bjo bjo^^


6 comentários:

  1. Aninha, posso chamar assim? Atualize a postagem, nenhum deles é mais gratuito. Todos custam pouco, é claro, mas custam R$ 1,99. Deve ter sido promoção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ha... que pena.... vou atualizar! Obrigada por avisar! ;)

      Bjo^^

      Excluir
  2. Oi Ana!
    Eu não entro na amazon pra não passar vontade rsrs
    Eu fiquei surpresa por ter lido muitos dessa lista. Não sabia que tinha lido tantos clássicos assim...
    Os que eu mais gostei foram os contos do Edgar Allan Poe, eu fiz até um um curta com A Máscara da Morte Vermelha, que foi muito legal de fazer. 20000 Léguas Submarinas, Os Sertões, Fausto e Dom Casmurro, até hoje não esqueci a história desses livros. Clássicos e excelentes!

    ResponderExcluir
  3. Ana!
    É bem verdade... estou como você, cheia de livros que baixo diariamente em e-book e nem sei quando poderei ler todos...
    Bacana esses clássicos, muitos que desejam ler, terão oportunidade agora e as capas estão belíssimas.
    “Será que você vai saber o quanto penso em você com o meu coração?” (Renato Russo)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Que legal e barato, mas pra mim não adianta, pois baixo e não leio ainda to na onda do fisico kk. Desses livros li Dom Casmurro, os outros são bem comentados mas o que mais tenho vontade de ler é Os Miseráveis.

    ResponderExcluir
  5. É tão bom quando podemos pagar pouquinho por grandes clássicos ne Ana Paula. Adorei as dicas e a postagem foi muito útil. Parabens e Obg

    Bjs
    Ana Paula
    Paixão por Leituras

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz