4


Resenha: Trono de Vidro - Sarah J. Maas

Editora: Galera Record
ISBN: 9788501401380
Autor: Sarah J. Maas
Serie: Trono de Vidro – Livro 1
Titulo Original: Throne Of Glass
Ano: 2013
Páginas: 392
Tradutor: Bruno Galiza, Elton Mesquita, Mariana Kohnert, Rodrigo Santos

Sinopse:
Depois de cumprir um ano de trabalhos forçados nas minas de sal de Endovier por seus crimes, Celaena Sardothien, 18 anos, é arrastada diante do príncipe. Príncipe Dorian lhe oferece a liberdade sob uma condição: ela deve atuar como seu campeão em um concurso para encontrar o novo assassino real. Seus adversários são ladrões e assassinos, guerreiros de todo o império, cada um patrocinado por um membro do conselho do rei. Se ela vencer seus adversários em uma série de etapas eliminatórias servirá no reino durante três anos e em seguida terá sua liberdade concedida.Celaena acha suas sessões de treinamento com o capitão da guarda Westfall desafiadoras e exaustivas. Mas ela está entediada com a vida da corte. As coisas ficam um pouco mais interessantes quando o príncipe começa a mostrar interesse por ela... Mas é o rude capitão Westfall que parece entendê-la melhor.Então um dos outros concorrentes aparece morto rapidamente seguido por outros... Pode Celaena descobrir quem é o assassino antes que ela se torne a nova vítima? A medida que a investigação da jovem assassina se desenrola a busca por respostas a leva descobrir um destino maior do que ela jamais poderia ter imaginado.



Resenha:
"Meu nome é Celaena Sardothien. Mas não faz diferença se meu nome é Celaena, Lilian ou vaca, eu ganharia de você da mesma forma, independente de como você me chamasse."
Confesso que sou atraída por historias medievais, com reis, rainhas, castelos e afins. Mas, quando existe aquela pitada de magia, me instiga ainda mais.
Trono de vidro me pegou já na sinopse, ou melhor, pela capa. Este livro junta todos os elementos que me fazem amar um livro, como mistério, suspense, magia e romance, mas principalmente, uma personagem principal forte e decidida, o que é extremamente raro. Mas a verdade é que o livro me pegou principalmente pela revelação da autora de que a historia nasceu do questionamento sobre os contos de fadas, de como seria se a Cinderela fosse ao baile para matar o príncipe e não para conhece-lo. Nem preciso dizer que no momento em que li isso, desejei o livro desesperadamente.

Trono de Vidro conta a historia de Celaena Sardothien, uma jovem que desde muito cedo aprendeu que a vida não é fácil, já que perdeu os pais de forma violenta e acabou sendo criada - e treinada -  por um conhecido assassino de Erilea.
Desde pequena Celaena foi instruída na arte de matar, e aos poucos se tornou uma conhecida e temida assassina do reino. Mas como até mesmo no mundo dos assassinos a inveja é algo perigoso, Celaena cai em uma armadinha e é levada como prisioneira para uma das minas de mineração de sal, para se submeter ao trabalho escravo em beneficio do reino.
"Aprender a perder com graciosidade não foi parte de seu treinamento?-Não - respondeu Celaena, com amargura. - Arobynn me dizia que o segundo lugar é apenas um título bonitinho para o primeiro perdedor."
Quando a esperança de sair daquele lugar já abandonou o coração da assassina a muito tempo, uma inusitada proposta é feita a ela.
Dorian, o príncipe herdeiro do reino, manda a guarda para resgata-la nas minas com o intuito de que Celaena entre em uma competição em seu nome e lute como sua campeã contra mais 23 assassinos que participarão da corrida para escolher quem será nomeado o campeão do rei, título que denomina a pessoa que fará o trabalho sujo para Vossa Majestade. A principio, a ultima coisa que Celaena gostaria de fazer era trabalhar para um rei que ela abomina, mas Príncipe Dorian propõe um acordo interessante: ela ganha a competição, trabalha quatro anos para o rei e depois será uma pessoa livre novamente. Se perder, volta para Endovier, e continua a cumprir sua pena e a sentença de morte que as minas de sal representam. É claro que Celaena aceita, já que essa é a sua única chance de sobreviver e ser livre novamente, mas ao chegar ao Castelo de Vidro, acontecimentos inusitados passam a ocorrer, e os competidores a morrer de modo estranho e cruel.
"Você poderia sacudir o universo - sussurrou a rainha - Poderia fazer qualquer coisa, se ousasse. E, no fundo, também sabe disso. É o que mais lhe assusta."
O livro é incrível do começo ao fim, isso é incontestável. Mas, agora vamos falar um pouquinho do lado ruim. Na verdade, o livro poderia ser perfeito por completo se a autora não tivesse tido a infeliz ideia de que um triangulo amoroso era uma boa ideia. Este ponto fica explicito já na sinopse e por pouco eu não desisto da leitura justamente por esse malfadado "detalhe". Eu particularmente ODEIO historia em que isso acontece, acho pouco criativo e até mesmo apelativo. Mas ainda bem que este é o tipo de triangulo amoroso no estilo Jogos Vorazes - onde Katniss gosta dos dois, mas seu único compromisso e com ela mesma, e o fato de que precisa sobreviver. -
O mesmo acontece com Celaena, uma jovem que nunca conheceu a liberdade, já que perdeu os pais e foi criada por um assassino que foi seu mentor e carrasco, que obrigou  Celaena a matar desde muito cedo para compensar o dinheiro que gastou com ela. Depois enviada para minas de sal, onde foi escravizada e açoitada pela guarda do rei. Toda a vida da garota foi repleta de provações e privações, mas principalmente repleta de maldade e nenhum amor.
 Então quando a possibilidade de uma liberdade verdadeira surge, ela se agarra a isso com unhas e dentes, e por este fato, em sua mente não tem espaço para outro sentimento, a não ser o desejo de ser livre. O triangulo amoroso acontece basicamente por parte dos rapazes. Chaol é o chefe da guarda, e o mentor de Celaena durante a competição. Dorian é o príncipe herdeiro, e o responsável por essa possível liberdade ser talvez alcançada. E os dois são melhores amigos, apesar da diferença social entre eles.
É obvio que ela se sente ligada a ambos, mas não de uma forma romântica. Chaol ela vê como um amigo e Dorian também, apesar de a atração entre ela e o príncipe ser mais visível.

Outro ponto negativo é que a premissa inicial, a qual a autora vendeu o livro, sobre um Cinderela determinada a matar o príncipe,infelizmente não aconteceu. Eu particularmente esperava uma Celaena muito mais obstinada a causar problemas no palácio e a enfrentar o déspota do rei. Não que eu esteja reclamando da personagem, não é isso, Celaena tem uma personalidade forte, humor e diálogos super inteligentes, e a autora mantem isso até o fim, mas o que falta é que ela faça uso dessa força e de sua língua afiada para colocar seus planos em pratica. Basicamente ela se torna um enfeite no palácio, cumprindo e seguindo ordens. Faltou a impetuosidade prometida no inicio do livro.

A autora não desenvolveu muitos personagens durante a trama, conhecemos muito pouco do rei e de seus comparsas, o foco esta sempre em Chaol, Dorian e Celaena, mas é impossível não apaixonar-se por esse trio. Inclusive é impossível decidir para qual ponta do triangulo amoroso você torce (já que ele existe, pelo menos tem personagens bons envolvidos. Amém!) e essa é a primeira vez que isso me acontece. Normalmente eu tenho o meu "team" definido desde o inicio, mas neste caso não. Na verdade, eu gosto mesmo é da Celaena, acho que o que me levou a amar este livro é a garota guerreira, apesar de ela não ter mostrado todo o seu potencial. Eu estou esperando bem mais dela e de sua essência rebelde nos próximos volumes.

A trama é desenvolvido em cima do campeonato para escolher o campeão do rei. Mas,o foco não fica apenas nisso, temos um plano de fundo rico, com vários elementos que podem servir de gancho para a autora desenvolver os outros livros da serie.

Já o desfecho, deixa o leitor avido para ler o próximo volume, pois a maioria das questões é respondida, mas deixando um numero ainda maior em aberto.

Sarah J. Maas possui uma escrita simples e fluida, com um ritmo intenso, depois que se inicia a leitura, é impossível parar.
Este livro tem tudo que um leitor pode desejar, inclusive um trabalho incrível da editora, com diagramação simples, mas ótima, revisão impecável, fonte agradável e paginas amareladas. Sem contar a capa, que é uma obra a parte, e reflete exatamente o que o livro transmite - uma mistura de suspense e mistério, com uma pitada de magia.
“Seria mais honroso morrer no duelo do que retornar para Endovier? Ou seria mais honesto morrer do que se tornar campeã do rei? Quem ele a mandaria matar?”
Sobre o autor:

Sarah J. Maas vive no sul da Califórnia, gosta dos filmes da Disney e música pop. Ela adora contos de fadas e balé, bebidas de café, e assistir programas de TV. Quando ela não está ocupada escrevendo romances de fantasia YA, gosta de explorar a costa da Califórnia.

4 comentários:

  1. Oi Geeh!
    Sou louca pra ler essa série. Só que me aconselharam a esperar o próximo livro sair, porque o final do último livro publicado deixa a gente muito louca pra saber a continuação.
    Acho que vou gostar muito da Celaena. Ela é forte e e uma excelente lutadora. Detesto triângulos amorosos, mas se for realmente que nem de THG, não vou me incomodar.
    Espero gostar muito dessa série da Sarah J Maas.
    Abc

    ResponderExcluir
  2. Tenho os dois primeiros volumes dessa série mas ainda não li queria os outros para ler de uma vez, pois parece ser uma leitura viciante quanto mais lemos mais queremos saber o que vai acontecer. Adorei a personagem e ela é bem elogiada nas redes sociais devido a ser forte e destemida. Só odiei a parte do triângulo amoroso fico me perguntando para que isso, ainda mais quando tenho duvidas pra que mocinho torcer.

    ResponderExcluir
  3. Geeh!
    Em um enredo regado a intriga, magia, jogo de poder, amor, confiança e amizade, tudo ambientado na idade medieval, o leitor só tem uma certeza, que o jogo está longe de acabar...
    Muito bom! Os personagens são cheios de nuances, e tudo pode mudar de uma hora para outra, o que acaba prendendo minha atenção desde o início.
    Não gosto também de triângulos amorosos.
    Até tenho esse exemplar aqui e espero poder ler assim que puder.
    “Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.” (Augusto Cury)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Acho a capa destes livros da série Trono de Vidro muito bonitas. Como você também gosto de histórias medievais e com magia.
    Uma pena a autora ter escrito um triangulo amoroso, mas pelo menos são com bons personagens.
    Gosto de livros em que os personagens são fortes, e após ler sua resenha fiquei muito curiosa e ansiosa para ler este livro, pois acredito que irei gostar muito da história dele.

    ResponderExcluir

Arquivo

© Livros de Elite - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Andréa Bistafa.
http://i.imgur.com/wVdPkwY.png