13 novembro 2017

Li até a página 100 e...





Oi pessoal!!!
Fazia tempo que eu não trazia essa coluna aqui no blog neh? Bem, eu estou lendo um livro que vale a pena ser comentado por aqui, mesmo que a resenha vá para outro blog.
Conheçam A Menina que Tinha Dons!!


Cultuado autor de quadrinhos e roteiros da Marvel e da DC Comics, entre eles algumas das mais elogiadas histórias de X-Men e O Quarteto Fantástico, o britânico M. R. Carey apresenta uma trama original e emocionante em sua estreia como romancista com A menina que tinha dons, lançamento do selo Fábrica231. Aclamado pela crítica, o livro se tornou um bestseller imediato na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos ao contar a história de Melanie, uma menina superdotada que faz parte de um grupo de crianças portadoras de um vírus que se espalhou pela Terra e que são a única esperança de reverter os efeitos dessa terrível praga sobre a humanidade. Uma comovente história sobre amor, perda e companheirismo encenada num futuro distópico.

Primeira frase da página 100:
"Mas nessa hora acontece algo que a faz parar."

Do que se trata o livro:
A Menina que tinha Dons conta a história de Melanie. Uma garota que, desde quando se entende por gente, está presa em um complexo militar. No começo, sentimos raiva por Melanie, apesar de a mesma não saber o porque de estar ali e de ser tratada como é. Mas depois descobrimos que ela e as demais crianças são Famintos, seres que comem carne humana, os famosos zumbis.

O que está achando até agora:
Eu estou adorando! Quem vê essa capa e o título não imagina a história maravilhosa que aqui se esconde!

O que está achando do protagonista:
Melanie é maravilhosa! Mesmo sendo um Faminto, ela é inteligente, amorosa, educada. Fica difícil não gostar dela. Sua empatia é fascinante e até quem não quer, acaba gostando da garota!

Vai continuar lendo?
Claro!

Melhor quote até agora:
"Quando a chave roda na porta, ela para de contar e abre os olhos. O sargento entra com sua arma e aponta para ela. Depois entram dois do pessoal do sargento, que apertam e afivelam as tiras da cadeira em volta dos pulsos e dos tornozelos de Melanie. Também tem uma tira para o pescoço; eles apertam essa por último, quando as mãos e os pés de Melenie estão totalmente presos, e sempre fazem isso de trás. A tira serve para que eles nunca tenham de colocar as mãos na frente do rosto de Melanie. Melanie às vezes diz, "Eu não mordo!" Ela diz isso de brincadeira, mas o pessoal do sargento nunca ri."

Última frase da pagina 100:
"E um bando de famintos sobre pelo peitoril".


Imagem relacionada

A resenha desse livro será postada no blog da Fernanda, Lendo &  Esmaltando. Espero que vocês tbm leiam e que gostem tanto quanto eu!
Bjo bjo^^ 


2 comentários:

  1. Gostei desse livro... vou procurar pra comprar👏👏👏👏

    ResponderExcluir
  2. Ana!
    ostei de saber um pouco sobre o livro deve ser bom mesmo, pelo seu entusiamsmo dá para notar.
    Um final de semana carregado de luz e paz!
    “A arte de ser sábio é a arte de saber o que ignorar.” (William James)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir

Adptação e personalização por QueenG Design

Tema Base por Butlariz